Doenças em coelhos: tumor e câncer

Tumor é um crescimento anormal e descoordenado de células, aumentando o volume de alguma parte do corpo. Esse volume pode conter líquido, gordura, sangue e outras coisas, mas nem sempre são ruins. Alguns tumores podem ser benignos e não se espalhar, podendo ser removido cirurgicamente sem maiores preocupações, enquanto outros são malignos, que podem comprometer o órgão e se espalharem para outras partes do corpo. Tumores malignos (ou câncer) podem ocorrer em qualquer parte do corpo do coelho como no útero, osso, ovário, glândula mamária, pele etc. O câncer que afeta os coelhos com maior frequência é o dos genitais, tanto em machos como em fêmeas. É estimado que o câncer no útero, um tipo de adenocarcinoma, pode ocorrer em 60% de coelhas com até 3 anos aumentando a taxa ao longo dos anos, sendo a média de intervalo de 12-24 meses entre o início dos sintomas e a morte por metástase. Por isso, os coelhos e coelhas castrados podem aumentar muito sua expectativa de vida. O linfossarcoma, tumor maligno no tecido linfático que ajuda na imunidade do coelho, pode aparecer por conta da genética. Ele é mais comum em coelhos jovens, envolvendo linfonodos, pele, rins, fígado e baço, também compromete a resistência do coelho. O hemangiossarcoma na pele é um tumor maligno nas células endoteliais (as que revestem os vasos sanguíneos) que pode ocorrer também, mas é muito mais comum em cães.

Tratamento e prevenção: Não há um tratamento estabelecido considerando doses de quimioterapia para coelhos, no entanto alguns procedimentos cirúrgicos podem ser realizados. Caso note uma formação com volume (nódulo) no seu coelho, leve-o ao veterinário de animais silvestres/exóticos. A melhor forma de prevenção é uma avaliação de rotina anual com veterinário e, caso necessite, análise com hemograma, ultrassom e até raio X. Além do primordial: CASTRAÇÃO.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo